Contra

 

CONTRA 

NINTENDINHO – KONAMI – 1988

 

 

Eis aqui o primeiro capitulo de uma das franquias da KONAMI que mais renderam mesas cheia de perus no natal de seus programadores!

 

Isso aí!

 

 

Hoje falarei do primeiro CONTRA lançado!!!!!

 

*-*

 

COMEÇANDO O TIROTEIO!!!

Um dos jogos mais amados pelos fãs do NINTENDINHO é com certeza o primeiro CONTRA! O jogo era cabuloso!

 

Mas eu vou começar começando pela história do começo. xD

Tipo, no jogo você é um cover do Rambo que tem como missão acabar com os ataques de aliens bombados (a equipe RED FALCON) que querem dominar uma ilha, então sua missão é dominar toda a ilha infestada e por um fim nesse ataque de alienígenas famintos querendo sangue.

 

Uma história muito louca assim só teria dois caminhos,

ou viraria um game ou daria mais um filme do Spielberg...

 

Mas claro que quando eu era “piveta” eu nem reparava em história nenhuma de jogos e o negócio era mesmo apertar logo o botão e pá-pá-pá!!! 

 

 

 

CLÁSSICO!

CONTRA é para dois jogadores, ele usa e abusa de todos os dois botões de ação do NES. (O que não quer dizer muta coisa)

O jogo é gostoso de jogar simplesmente porque não é complicado. A química do jogo é fácil e sem segredos.

 

 

O capricho fica por conta da KONAMI que deu na telha pra bolar fases ultra legais e inimigos bem bolados (principalmente os chefes, em que cada um tinha um meio de se matar), isso tudo fazia com que jogadores viciados ficassem até a madrugada tentando passar mais uma fase do jogo.

Mas é sério, as fases são muito bem feitas com plataformas a serem subidas, coisas a serem desviadas, cada fase tem sua particularidade.

 

 

Na ilha que se passa o jogo você passará por diversos bocados perigosos, começando numa selva e passando por neves e até mesmo por fábricas cheia de lasers e afins, em outras palavras é uma ilha com florestas ultratech que nem mesmo a NASA desconfiaria a existência disso. Mas como eu já disse, deixe a história do jogo em segundo plano porque o jogo é foda e ponto.

 

 

 

 AS ARMAS 

Um dos pontos mais marcantes da série CONTRA são as armas (Power ups) que podem ser pegos durante as fases,

temos no jogo a arma “L” (laser), que tem a maior força da parada, porém sai tiros lentos demais, quase sem velocidade. É a arma ideal do Rubinho Barrichelo.

A arma “M” (metralhadora), que manda tiro contínuos sem parar, basta segurar o botão de disparo.

A arma o “F” (é bizarro, não sei traduzir esse tiro xD), não é uma arma tão forte e sai parecendo uma minhoca,  diferente da versão SNES que deram um trato e a arma virou um fogão perfeito.

 

A arma “S” que é com certeza a predileta de 11 a cada 10 jogadores de CONTRA, pois sai tanto tiro num único disparo que mata do céu a terra, quando peguei essa arma a primeira vez fiquei imaginando como teria que ser o bocal pra sair tanto tiro assim, mas depois desisti quando percebi que era uma game e eu não deveria ficar achando intriga.

Existe também a letra “R” que serve pra upar mais ainda suas armas atuais, deixando a mais rápidas.

Existe também a roupa de proteção (letra “B”)que te deixa invulnerável por alguns milésimos de segundos.

 

Lembrando que no jogo você ainda conta com a boa sacada de poder atirar em até 8 direções diferentes.

 

 

 TERMINANDO O PAPO

Os gráficos de CONTRA marcam presença, são bem legais e estão muito acima de outros títulos para o NES.

 

A música é fabulosa, passando o clima que tem que ser passado. Não existe sequer uma única música que possa ser considerada ruim. É com certeza um dos pontos fortes do game, cá pra nós um game com uma música tosquinha é o fim da picada.

 

A jogabilidade do jogo não é nenhum Edmundo, mas é animal!!! (piadinha horrível, eu sei, juejuejuejuejuejuejuejue!!) 

 

São 8 fases no game,

Você inicia com apenas 3 vidas e 3 continues, mas ganhando pontos durante a partida você pode conseguir vidas extras ou mais continues.

 

E você passa por dois tipos de telas, as tradicionais do tipo, “vá pra frente e mate o chefe final” e as telas com visão atrás do personagem, onde muda levemente o esquema do jogo. Isso tudo mostra o trabalho da KONAMI de trazer diversidades a um game 2D naqueles anos 80 tragicamente movido pela Turma do Balão Mágico.

 

CONTRA a primeira vista parece ser bem difícil, mas não é. De fato basta jogar um pouco e pegar as manhas. Creio que uma das fases mais difíceis mesmo (além da última) seja a 7ª fase, que exige muita atenção e pode derrubar facilmente o jogador mais desatento que esteja tipo com sono. Mas se você for resiste verá a tela abaixo sem muito esforço:

 

 

Sua sequência conhecida como “SUPER C”(em que euzinha já comentei por aqui) a boa jogatina foi mantida, embora esse sempre será conhecido como o melhjor CONTRA para NES. Ainda saiu mais um CONTRA para NES, o péssimo CONTRA FORCE.

 

A série foi se tornando mais difícil nas séries seguintes, na versão para SNES já era possível escolher entre opções de EASY, NORMAL ou HARD... jogar no HARD era o que há, pois deixava a gente com raiva e isso era bom!

 

CONTRA foi uma das pérolas do NES, amado por todos os fãs do console classe A da Nintendo.

 

Não tem como odiar esse game, ele é bão demais!

 

 

O início de um legado que segue até hoje,

 

Perfeitoooooooooooooooo!!!

 

bjos da Loira

 

Post by: LOIRA VICIADA

Comente:

Não foram encontrados comentários

Novo Comentário

Visitantes online

ESPAÇO NINTENDO
Resgatando o nosso tempo de pivete desde:
23/01/2009

Parceiros